Conteúdo para toda família

Dermatologia
DRA. NATÁSSIA PIZANI

Médica  formada pela Universidade Federal Fluminense, Especialista em Dermatologi pela Universidade Federal Fluminense, Membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia

 

Consultoria

Rua Cel Joaquim Costa,  215

Telefone: (35) 3551-0414

Guaxupé

Os benefícios

da MMP

Um método relativamente recente no mercado, que tem feito bastante sucesso ultimamente, é a MMP (Micro infusão de Medicamentos na Pele).

 

O que é a MMP

 

Trata-se de um método capaz de inserir medicamentos ativos diretamente no local onde é necessária a aplicação. Tudo isso de forma mais eficiente e menos dolorida. Vários problemas que afetam a pele tais como: calvície masculina e feminina, envelhecimento, leucodermia gutata, quelóides, estrias, melasma, verrugas e até psoríase.

Com essa finalidade, o dermatologista brasileiro, Samir Arbache, desenvolveu uma técnica que permite a introdução de medicamentos estéreis no local adequado de ação tornando o tratamento mais eficaz, rápido e praticamente indolor.

A medicação é introduzida na pele através de um aparelho que utiliza micro agulhas, em um movimento de vai e vem, com velocidades e profundidades adequadas para que possa agir no local ideal para tratar as doenças de pele.

 

Indicações de tratamento

 

No tratamento da alopécia androgenética (calvície), por exemplo, essa técnica tem tidos resultados bastante consistentes. A aplicação é feita na área afetada do couro cabeludo sob anestesia local, com intervalo mensal. A quantidade de sessões necessárias depende do estágio da queda capilar.

No caso das manchas brancas nos braços e pernas causadas pelo sol (leucodermia gutata), a MMP irá provocar um estímulo ao retorno da pigmentação natural da pele. O processo obtém uma resposta que pode ser observada em torno de duas semanas após a aplicação.

Também são tratáveis por MMP o envelhecimento da pele, estrias, melasma (manchas escuras no rosto), verrugas e até psoríase.

No caso do melasma, a tecnica é bastante segura com relação ao risco de efeito rebote, ja que não utiliza calor e pode ser aplicada a todos os tipos de pele. Além disso, o procedimento permite aliar o benefício da produção de colágeno induzida pelas microperfurações ao efeito de entrega das substâncias clareadoras sob a pele.

 

Procedimento indolor

 

A penetração das agulhas é bastante superficial, de modo que o tratamento é muito bem tolerado com uso de anestesia tópica quando necessário.

É importante destacar que esta técnica exige conhecimentos específicos para ser realizada. É por essa razão que recomenda-se aos pacientes, que busquem dermatologistas da Sociedade Brasileira de Dermatologia que receberam treinamento adequado na técnica.

INSTAGRAM

Curta esta página no Facebook

Poste no seu Twitter

© EDITORA MÍDIA LTDA | Av. Conde Ribeiro do Valle, 255 | 2º Andar | Sala 8

Telefone: (35) 3551-2040 | Cep 37800-000 |  Guaxupé | MG