Conteúdo para toda família

Dermatologia
DRA. NATÁSSIA PIZANI

Médica  formada pela Universidade Federal Fluminense, Especialista em Dermatologi pela Universidade Federal Fluminense, Membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia

 

Consultoria

Rua Cel Joaquim Costa,  215

Telefone: (35) 3551-0414

Guaxupé

MMP: um novo tratamento para queda de cabelos

 

A queda de cabelos é uma queixa muito frequente nos consultórios dermatológicos. Incomoda homens e mulheres e pode ocorrer por diversas causas, sendo a alopécia androgenética e o eflúvio telógeno as condições mais comuns.

É muito importante que o paciente seja investigado, incluindo análise do couro cabeludo com tricoscopia, além de exames de sangue. Uma vez que seja determinada a causa, é estabelecido o tratamento a ela direcionado.

A boa notícia é que recentemente foi introduzido ao arsenal terapêutico dermatológico a técnica de MMP (Microinfusão de Medicamentos na Pele), um procedimento bastante promissor no tratamento de certos tipos de alopécia. Trata-se de um método capaz de inserir medicamentos diretamente no local onde eles devem agir, no caso, o bulbo capilar.

Após anestesia e limpeza do couro cabeludo, utiliza-se um dispositivo com microagulhas vibratórias que permitem a deposição de medicamentos para estimular o crescimento capilar (drug delivery). Trata-se de uma terapia complementar ao tratamento clínico, com o intuito de ativar os folículos dormentes.

A MMP consegue combinar os efeitos do microagulhamento com drug delivery, isto é as microperfurações, por si, levam a liberação dos fatores de crescimento que vão estimular os folículos. Associada a isso, a ação dos medicamentos milimetricamente infundidos, aumenta a eficácia do tratamento. Para se ter uma ideia, menos de 5% de um produto aplicado topicamente consegue chegar nas camadas mais profundas da pele. Com a técnica de drug delivery, a penetração dos medicamentos é potencializada, reduzindo não só o tempo necessário para que o resultado apareça, como também, o número de sessões do tratamento em questão.

Vale lembrar que quanto antes o tipo de alopécia for diagnosticado, maiores as chances de estabilizar a perda e retardar sua progressão.

 

 

 

 

INSTAGRAM

Curta esta página no Facebook

Poste no seu Twitter

© EDITORA MÍDIA LTDA | Av. Conde Ribeiro do Valle, 255 | 2º Andar | Sala 8

Telefone: (35) 3551-2040 | Cep 37800-000 |  Guaxupé | MG