Conteúdo para toda família

Psicologia
Marcia Nehemy

À FLOR  DA PELE

Só o nosso cérebro tem mais funções que a nossa pele, o maior órgão do corpo humano. A pele é vital para a vida humana e responsável pelo tato, considerado o mais delicado dos sentidos e pela respiração. Faz a mediação de sensações e as transmite ao sistema nervoso, protege órgãos internos, regula temperatura e ainda funciona como barreiras contra bactérias.

Do ponto de vista psicológico faz a contenção e estabelece limites entre o mundo externo e o universo interno- age como um sistema de “abrigo  da individualidade“. Ao mesmo tempo que nos protege é a fachada que nos expõe”.

Não seria exagero dizer que a derme tem um papel “EGOLÓGICO”, nos referindo à construção da auto imagem e da auto confiança. Alguns pesquisadores relatam que funções sensoriais permitem a compreensão de si mesmo e o encontro com o outro, já que o órgão epitelial é comprovadamente envolvido por questões emocionais.

Pessoas que não tiveram suas necessidades de estimulação cutânea (afagos, abraços, beijos e toques estimulantes) apropriadamente suprimidas enquanto bebês - já dissemos que o toque é fundamental em todas as fases da vida, tendo importância especial nos anos iniciais. Por meio desses toques o bebê se sentirá amado,amparado, consolado e contido  o que permitirá o surgimento de um sentimento futuro de unidade. Podem apresentar tendência à regredir em momentos emocionais críticos, apresentando problemas relacionados à pele (somatizados).

Inúmeras pesquisas mostram, por exemplo, que o vitiligo se manifesta após situações de estresse vinculada  a ameaças ou perdas.

É importante entender que o aparecimento de doenças tem sempre múltiplos aspectos a ser considerados: genéticos, ambientais, características de personalidade, formas usadas pela pessoa para enfrentar o estresse, história de vida, mas sobretudo, é necessário levar em consideração o significado singular da dermatose para cada indivíduo, pois é impossível generalizar a razão pela qual a pessoa adoeceu. E não podemos desconsiderar os fatores psíquicos do momento do indivíduo.

A Psicodermatologia surge embasada nessa visão mais ampla do ser humano, procurando entendê-lo em suas especificidades. Em especial nos últimos anos essa área de conhecimento vem integrando o trabalho de médicos e psicólogos a fim de oferecer um atendimento mais humanizado e específico para cada paciente, com base em uma compreensão psicossomática. Dessa forma, rompe -se com a ideia da existência de uma única causa da doença em favor de um modelo mais interativo e multifatorial.

Podemos estar  “à flor da pele”  por estarmos sensíveis pelo sentimento de amor e paixão ou podemos estar à flor da pele também por estresse e dor! De qualquer maneira, estar à flor da pele, quer dizer que estamos vulneráveis.  Fiquem atentos!  Grande abraço!

A AUTORA é  Psicóloga Clínica, com título de Especialista em: Psicologia Clínica Hospitalar, Psicoterapia Breve, Psicoterapia de Casal,  familiar e  em Sexualidade Humana. Contato:

Rua Antonio Lapa, 1217 - Telefone: (19)  99771-6063.

INSTAGRAM

Curta esta página no Facebook

Poste no seu Twitter

© EDITORA MÍDIA LTDA | Av. Conde Ribeiro do Valle, 255 | 2º Andar | Sala 8

Telefone: (35) 3551-2040 | Cep 37800-000 |  Guaxupé | MG